sexta-feira, 23 de janeiro de 2015

Opinião / Review- "Looking For Alaska", John Green

Synopsis

"Before. Miles "Pudge" Halter's whole existence has been one big nonevent, and his obsession with famous last words has only made him crave the "Great Perhaps" (François Rabelais, poet) even more. He heads off to the sometimes crazy, possibly unstable, and anything-but-boring world of Culver Creek Boarding School, and his life becomes the opposite of safe. Because down the hall is Alaska Young. The gorgeous, clever, funny, sexy, self-destructive, screwed-up, and utterly fascinating Alaska Young, who is an event unto herself. She pulls Pudge into her world, launches him into the Great Perhaps, and steals his heart.

After. Nothing is ever the same."

Review

Looking for Alaska is the third book I've read by John Green, after The Fault in Our Stars and Will Grayson Will Grayson (review available here).

Once again, it confirms the author's talent for young adult and for writing interesting, quirky characters, who are almost who we would like to have been as teens. However, this isn't a light book, or a book for children. The subject is seemingly light, but it goes way beyond the surface. The action takes place in a boarding school, to which Miles Halter, our clumsy main character, is transferred in the beginning of a new school year. But it is not only about trying to fit in in a new environment, or about the typical adolescent rebellious spirit. It also deals with darker subjects (which I won't specify for the sake of not making spoilers) you wouldn't usually expect in a YA book. This is a fast read, but if you also expect a light one, the only way of achieving it is by not bonding with the characters at all. And from my limited experience reading John Green's books, this very rarely happens.

I read Looking For Alaska knowing as little as I could about the book. It's divided in two sections, the before and the after of a defining event. And if there are books in which this approach proves disappointing in the end, it is definitely not true in this case.

Throughout the book, the main character, Miles "Pudge" Halter, quickly finds himself surrounded by a group of unforgettable characters, from his tiny, savvy and heavy smoker roommate Chip "Colonel" Martin, to the bookish, mysterious and rebellious Alaska. The reader accompanies the group through a series of adventures, pranks and insightful, almost phylosophical conversations.

Overall, this is a book for people who enjoy YA and who appreciate John Green's very particular style of writing. I would recommend searching for as little information about the book as possible before beginning to turn the pages, and waiting for what the next one brings. Every plot twist is worth it and, in its whole, this book was a pleasant surprise.

Sinopse

"Antes. Toda a existência de Miles "Pudge" Halter tem sido um grande não-evento, e a sua obsessão com últimas palavras famosas apenas o fez ansiar o "Grande Talvez" (François Rabelais, poeta) ainda mais. Parte para o por vezes louco, possivelmente instável, mas tudo menos aborrecido mundo do Colégio Interno de Culver Creek, e a sua vida torna-se o oposto de segura. Porque ao fundo do corredor está Alaska Young. A linda, inteligente, engraçada, sexy, auto-destrutiva, perturbada e absolutamente fascinante Alaska Young, ela própria um evento. Traz Pudge para o seu mundo, lança-o para o Grande Talvez e rouba o seu coração.

Depois. Nada será o mesmo."

Opinião

Looking for Alaska é o terceiro livro de John Green que leio, depois de A Culpa é das Estrelas e Will Grayson Will Grayson (cuja opinião está disponível aqui).

Esta obra mais uma vez confirma o talento do autor para literatura juvenil, e para elaborar personagens interessantes e peculiares, que são quase quem gostaríamos de ter sido enquanto adolescentes. No entanto, este não é um livro leve ou uma leitura para crianças. Apesar de o assunto ser aparentemente leve, esta obra vai muito para além da superfície. A acção decorre num colégio interno, para o qual Miles Halter, o nosso desajeitado personagem principal, é transferido no início de um novo ano lectivo. Mas não se debruça só sobre a tentativa de adaptação num lugar novo ou sobre o espírito rebelde típico da adolescência. Lida com assuntos mais negros que não seriam de esperar num título de Young Adult (que não especificarei para evitar spoilers). Esta é uma leitura rápida, mas se espera que seja também leve, a única forma é não obtendo qualquer ligação com as personagens. E pela minha limitada experiência enquanto leitora da obra de John Green, é muito raro tal acontecer.

Li Looking for Alaska sabendo tão pouco sobre o livro quanto possível. Está dividido em duas secções, o antes e o depois de um evento decisivo. E se existem livros nos quais esta abordagem se acaba por revelar despontante, este não é um deles.

Ao longo do livro, a personagem principal, Miles "Pudge" Halter, rapidamente se vê rodeado por um grupo de personagens inesquecíveis, desde o seu pequeno companheiro de quarto Chip "Colonel" Martin, esperto e um fumador pesado, até à rebelde e misteriosa Alaska, uma ávida leitora. O leitor acompanha o grupo por uma série de aventuras, partidas e conversas perspicazes, quase filosóficas.

No geral, este é um livro para quem aprecia Young Adult, e para fãs do estilo de escrita bastante próprio de John Green. Recomendo procurar tão pouca informação quanto possível antes de começar a virar as páginas, e esperar pelo que traz a próxima. Cada plot twist vale a pena e, no seu todo, esta obra foi uma agradável surpresa.



6 comentários :

  1. Olá!

    Em Dezembro li um livro do John Green e não achei nada de especial. Mas gostava de ler mais livros dele, para ter conhecer outras obras. Este é um dos que mais tenho curiosidade.

    Boas leituras!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Isaura!

      Não li uma parte significativa da obra de John Green, mas até agora se há algo que se destaca, independentemente da originalidade da história, é a forma de escrever bastante característica do autor. Dito isto, acho que quem não gostou do "tom" dificilmente gostará de mais livros dele, mas a qualidade da história também varia significativamente. Gostei bastante mais deste título e de A Culpa é das Estrelas do que de Will Grayson Will Grayson..
      Na minha opinião, este é um bom livro para dar mais uma oportunidade! ;) Espero que lhe proporcione uma melhor experiência do que o primeiro que leu!

      Boas viagens,
      Isabel

      Eliminar
  2. Recebi-o no natal e está prontinho para o começar a ler assim que entrar de férias :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Inês!

      Espero que goste desta leitura! Para quem é fã do autor, é sem dúvida uma boa escolha!

      Boas viagens,
      Isabel

      Eliminar
  3. Segui :)
    Deixo aqui o meu primeiro passatempo caso queiras participar :)
    http://diasporadossentidos.blogspot.com/2015/01/1-sorteio-diaspora-dos-sentidos-o-velho.html

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Pedro!

      Retribuímos, e vamos sem dúvida dar uma vista de olhos! :)

      Boas viagens,
      Bloguinhas

      Eliminar